Diário de Viagem: Felixlândia/MG


mapa-viagem-para-minas-gerais

Finalmente fizemos uma viagem longa de carro, saindo do estado, partimos do Rio de Janeiro até Felixlândia – Minas Gerais, bem interiorzão, foi a minha primeira viagem saindo do meu Estado de origem, fomos em missão a uma festa de casamento de um amigo de meus pais. Abastecemos o tanque todo do carro de gasolina no dia anterior e pegamos a estrada de manhã do dia 13/01, fomos eu, meu marido, minha mãe, minha irmã e meu Pai II, umas 6h já estávamos com o pé na estrada, o primeiro percurso ficou por minha conta, fui dirigindo da casa de minha mãe até antes da entrada de Guapimirim/RJ, porque não queria pegar a Serra e também eu era a única que entendia o percurso pelo GPS!

mapa-trajeto-felixlandia-mg01

No início foi meio difícil fazer o GPS traçar a rota que queria, estava me dando um percurso e eu queria outro que ele não queria fazer de jeito maneira, eu queria entrar por Guapimirim, antes tinha feito a rota pelo computador estudado o trajeto e enviado para o app do celular, mudar ficou difícil e ele não quis recalcular, então tive que fazer na marra pela rodovia que estava vendo no mapa que dava na rota novamente, fiquei com um pouco de medo, mas fomos mesmo assim, no fim consegui ligar a rota novamente, eeeeeh \o/

Passamos pela Serra de Teresópolis/RJ, linda como sempre, não conseguimos parar na ida para tirar fotos, por conta do mal tempo, estava tudo fechado por neblina. Em uma outra Serra  não tinha lugar para parar, cheia de flores hortênsias por todo o caminho, lindo de mais, mas também estava fechada por neblina até a estrada.

Paramos em alguns postos de combustível durante o percurso para esticar as pernas e também ir ao banheiro, teve alguns que abastecemos, nos de GNV, para falar a verdade foram 3X, porque não tem na estrada GNV, é lamentável! Muitos postos tinham banheiros super limpos, fiquei até impressionada! Alguns tinham lojinhas de itens de decoração e viagem, mas nenhum com lembrança de Minas Gerais, ou algo do tipo!

Achei a estrada muito linda, Rio de Janeiro também tem estrada cheias de montanhas, mas Minas as montanhas são diferentes, rs! Até vi um Tucano na mata de frente a estrada. Pegamos muita chuva no nosso trajeto, chuva na estrada do Rio e chuva na estrada de Minas. Muito engraçado, passamos por um trecho que o nome deveria ser estrada do Ferrugem, porque tudo é da cor de barro, tudo mesmo até as casas, divisas da rua, placas e tals. (Acho que é antes de chegar a cidade de Mariana).

Chegamos depois da longa viagem, fizemos umas 10h contando com as paradas, não pegamos trânsito na ida! Não conseguimos fazer nada, estávamos todos cansados, almoçamos, nos alojamos em um chalé que ficava no sítio mesmo do casamento, muito bonitinho o chalezinho, então em resumo dormimos o dia que chegamos quase todo!

No dia seguinte passeamos pela cidade logo de manhã, para ir na feirinha, em busca de comida típica como: Queijo Minas, Pão de Queijo, Mel, Queijo Trança e alguns artesanatos para guardar de lembrança da viagem, mas foi uma decepção não tinha, rodamos o centro da cidade todo, que também não era grande, fomos em todas as lojas possíveis e não tinha. Comprei uma lembrança que achei muito bonita, mas não era da cidade, mas vou decorar ela para ficar como se fosse! (Depois posto para vocês como ela ficou, lá no instagram do blog), Comi um pão de queijo que não estava fresco, mas valeu a experiência :/, demos uma volta tiramos fotos da igrejinha da cidade e só, não tinha muita coisa lá!
Pássaros de várias especieis voando livremente pela cidade, papagaio, periquito e vários outros, o casal de papagaio estava até se beijando em cima de uma casa, in love, muito lindo ver os animais felizes soltos.

Já ia me esquecendo eles têm uma fruta típica chamada pequi, muito estranha, com cheiro estranho, não consegui provar não, fiquei com medo, ainda mais que disseram que contém um espinho dentro que pode machucar a boca O_o’ e o mais engraçado é que você não come a polpa que parece um abacate, come o caroço, me corrigem se eu tiver enganada, mas foi o que me disseram lá, rs. Clique aqui para saber mais desse fruto interessante.

A volta para casa no sábado dia 15/01, também paráramos para abastecer, mas foram poucas vezes, fomos ao banheiro, esse banheiro da volta era imundo e a frentista não quis dar a chave do feminino! O trajeto foi tranquilo nas estradas de Minas, também pegamos chuva na estrada. Quando chegamos no Rio queríamos descer pela Serra novamente e o GPS deu ruim, traçou a rota que a gente não queria e eu não tinha me planejado para a rota da volta! Passamos por dentro da cidade de Petrópolis/RJ, e o percurso foi muito mais longo do que o da ida, longo e cansativo, ainda pegamos um pedaço da Serra de Teresópolis à noite e com engarrafamento na descida, fiquei muito triste, mas chegamos em casa bem, cansados, mas bem 😀

Resumo:

Ida:
• Postos de Combustível:
Total 4 Paradas:  4 para esticar as pernas e ir ao banheiro, 3 para abastecer GNV!
• Banheiros:
Os 4 que fomos muito bem conservados e limpos!
• Comida:
Na estrada: Rosquinha artesanal de polvilho – Na cidade: Mel na feira, biscoitos no mercadinho.
• Compras:
Na estrada: 1 Chapa de pedra sabão – Na cidade: 1 item de decoração para lembrança.
• Pedágios:
7 (2 no Rio tarifa R$12,90 e 5 em Minas tarifa R$4,80)

Volta:
• Postos de Combustível:
Total 3 Paradas: 3 para esticar as pernas, ir ao banheiro e abastecer.
2 GNV e 1 Gasolina que por sinal estava mais barato do que do Rio de Janeiro
• Banheiros:
1 muito fedorento e sujo! 2 muito bem conservado.
• Parada mirante:
1 em Teresópolis/RJ
• Comida:
Na estrada: Biscoito de polvilho
• Pedágios:
8 (5 em Minas tarifa R$4,80 e 3 no Rio tarifa R$12,90)

Dicas:
Não confiem 100% na rota que o GPS traça, ele vai te dar caminhos mais rápidos para ele, faça como eu fiz na ida, ver no Maps alguma rodovia que liga a seu trajeto, traça sua rota por aquela rodovia, deem preferencias as rodovias e não a estradas de cidades, aonde pega semáforos e estradas desconhecidas. Sempre, mas sempre procurem pedir informações na rua, para moradores de lá! Uma observação importante, na estrada de Minas tem muitos radares e fiscalizações eletrônicas e de baixa velocidade principalmente nas zonas urbanas e em algumas tem muitos quebra-molas, fiquem atentos o tempo todo.

Esse foi um post muito diferente no blog, um post que sempre quis fazer, pois amo viagens, amo viajar e histórias de viagens! Nunca tive essa oportunidade de fazer uma viagem do tipo, fiquei muito feliz, o primeiro diário de viagem do blog, não foi conforme minhas expectativas queria que tivesse mais fotos, e mais lugares bonitos, mas dessa vez não deu. Eu e meu marido amamos e já viciamos nessa vida de rodar quilômetros de carro, assim que Deus nos conceber nosso carrinho, não vamos mais parar e o blog vai ficar recheado de post de viagem.

Espero que tenham gostado e me desculpe pela falta de fotos, fiquei como copiloto controlando o GPS e guiando quem estava dirigindo (Às vezes meu Pai II e meu marido), mas tentei trazer o máximo de informações para vocês, esse foi só um teste o próximo já vou estar craque!
Se alguém tiver algum App bom para GPS que mostre rota, postos de combustíveis e lugares para alimentação, e outras informações importantes para viajante de carro, podem estar compartilhando que vou amar saber a sua experiência também.

Anúncios